quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Os 10 mais bizarros métodos de tortura

Em tempos passados, as pessoas tinham várias maneiras diferentes de fazer com que alguém pagasse pelos seus crimes. Ao invés de deixar o preso em uma cela, eles usavam vários métodos cruéis de tortura e criavam máquinas e objetos especialmente para este fim. Essas máquinas tinham o objetivo de assustar as pessoas e coibir rebeliões e impedir que crimes fossem praticados.

Vi no WeirdWorm (em inglês).

O Touro de Bronze

Esse instrumento de tortura foi desenvolvido na Grécia por Periollos de Atenas, uma das primeiras pessoas a desenvolver a arte de moldar o bronze. Ele, porém, usou seus conhecimentos para criar um dos mais horripilantes instrumentos de tortura, o qual era constituído por um touro feito de bronze grande o bastante para caber uma pessoa deitada.

O touro de bronze tinha uma porta em uma de suas laterais para que o apenado fosse introduzido no seu interior e, em seguida, a porta era fechada e um carrasco acendia uma espécie de churrasqueira por debaixo do touro fazendo com que esse ficasse vermelho de tão quente.

O condenado morria assado dentro do instrumento de tortura e Periollos ainda teve o cuidado de abrir orifícios na boca do touro para que quando o condenado gritasse, o som soasse como um touro furioso.

the brazen bull

Veja mais sobre esse método aqui.

A Roda da “Quebra”

Essa roda de tortura era usada para matar os criminosos lentamente e de forma muito dolorida. Este método, usado na França e Alemanha principalmente, consistia em uma roda gigante de vagão, onde o criminoso era cuidadosamente preso a ela e em seguida vinha um carrasco com uma marreta e quebrava todos os seus ossos.

Após ter todos os ossos quebrados, o condenado era decapitado ou, em alguns casos, deixado preso na roda até que morresse. Muitos deles se tornavam comida de aves e animais carnívoros ainda vivos.

the breaking wheel

Veja mais sobre esse método aqui.

O Rack

Este dispositivo consiste em uma espécie de mesa formada por uma moldura retangular e rolos de madeira, um pouco levantada do chão em uma das extremidades. Os pés do condenado eram presos no rolo inferior por cordas e as mãos presas, da mesma maneira, no rolo superior.

O rolo do meio continha as extremidades das duas cordas e duas alavancas presas em catracas com rodas dentadas. Essa máquina de tortura era usada em interrogatórios, onde o carrasco usava as duas alavancas para encurtar as cordas fazendo com que o prisioneiro fosse esticado aos poucos e confessasse tudo o que a autoridade queria saber.

As articulações se separavam e as ligas musculares se rompiam, o que causava muita dor ao condenado, o qual freqüentemente tinha seus membros separados do corpo.

the rack

Veja mais sobre esse método aqui.

O Berço de Judas

Essa máquina de tortura é formada unicamente por um assento em forma de pirâmide e bastante pontiagudo. A vítima, geralmente nua, era presa por cordas e tinha a ponta da pirâmide inserida em seu ânus. Uma corda em um sistema de polias mantinha o apenado suspenso e este era descido aos poucos, sendo empalado vivo.

judas cradle

Veja mais sobre esse método aqui.

O Caixão da Tortura

Este aparelho foi usado na Idade Média. O condenado era colocado em uma gaiola de metal e ficava imóvel, preso dependurado pelo tempo que a autoridade determinasse.

Dependendo do crime, o apenado ficava preso nessa gaiola sem poder se mexer até o fim da sua vida e muitos outros eram pendurados em meio a cidade, onde quem passava atiravam-lhes pedras, paus e objetos cortantes.

coffin torture

Veja mais sobre esse método aqui.

A Dama de Ferro

Este armário de ferro no formato de um ser humano foi feito no tamanho exato para acomodar uma pessoa em pé. O armário tinha uma espécie de abertura, que podia também ser fechada, para que o torturador pudesse interrogar a vítima. Essa abertura também podia ser usada para que o carrasco pudesse cutucar a vítima com objetos pontiagudos e finalmente matar o condenado.

iron maiden

Veja mais sobre esse método aqui.

O Divisor de Joelhos

Este aparelho era usado para inutilizar os joelhos dos condenados e foi usado principalmente na época da Santa Inquisição. O número de espinhos do aparelho poderia variar entre vinte e três pontas, dependendo do crime cometido pelo condenado.

A perna do indivíduo era colocada entre as faces com os espinhos, o torturado rodava os dois dispositivos em forma de parafusos, fazendo com que as duas faces se aproximassem e assim esmagasse a perna do apenado. Existem relatos de que este aparelho foi usado também em cotovelos e que ele poderia ser aquecido para que causasse mais dor ainda.

the knee splitter

Veja mais sobre esse método aqui.

O Garfo do Herege

Este dispositivo foi usado durante a época da Inquisição Espanhola e era bastante simples sendo formado por dois garfos de metal em lados opostos de uma haste.

Um desses garfos era colocado no queixo do condenado e o outro no tórax, de forma que eles fossem forçados até que os dois perfurassem a pele do sujeito. Este método não causava a morte, pois nenhum órgão vital era perfurado. O objetivo era que o condenado ficasse com as mãos amarradas nas costas, para que não fugisse, e que não pudesse mexer a cabeça ou falar.

heretics fork

Veja mais sobre esse método aqui.

A Tortura da Serra

Esse método era aplicado aos condenados de bruxaria, adultério, assassinato, blasfêmia ou roubo. O condenado seria pendurado de cabeça para baixo para retardar a sua morte, forçando que o sangue permanecesse no cérebro, e então seria serrado por várias horas até morrer. Ele poderia ser completamente serrado ao meio ou ter somente parte do abdômen serrado para que a morte fosse mais lenta.

saw torture

Veja mais sobre esse método aqui.

A Presilha

Esse método era basicamente usado para obter uma confissão de um suspeito. Os dedos do suspeito eram colocados no dispositivo e esmagados aos poucos conforme o torturador apertava o parafuso. As torturas podiam durar dias e eram muito doloridas.

Existem versões maiores desse aparelho para serem usadas nos pés, cotovelos e até mesmo na cabeça.

thumbscrew

Veja mais sobre esse método aqui.

10 comentários:

Anônimo disse...

Uma pena que a Justiça brasileira ainda seja a favor dos criminosos. Os Nardonis vão pegar cerca de 30 anos de prisão, cumprir 1/3 da pena e depois vão pro regime semi-aberto. O melhor seria colocar os dois dentro deste boi aí!

Anônimo disse...

Assustador! Meu Deus!

Unknown disse...

Viva a igreja catolica e o fanatismo. Puts depois acham q é so pedir desculpas e todo o sofrimento causado as vitimas da inquisisao vai ser esquecido ¬¬

Fernando Henrique disse...

Não é um 1/3. Crime hediondo é 2/5,
Então, com boa conduta eles poderam ir a regime semi aberto em 2018, mas o stf pode cancelar esse regime semi aberto, igual ao caso da Suzane que matou os pais.

Unknown disse...

com instrumentos de torturas como estes, eu confesso até o que eu não fiz!!

Unknown disse...

quantas pessoas inocentes não deves ter sofrido nessas maquinas monstruosas.

a natureza do ser humano é cruel, desde que o mundo é mundo o homem sente prazer em impor dor e sofrimento ao seu semelhante

Anônimo disse...

Nunca mais vou reclamar da época em que vivo!!

felipão disse...

O pior depois de ver esses instrumentos escrotos de tortura é ver que ainda há gente que defenda que seres humanos (criminosos ou não) sejam submetidos a esse tipo de prática. Puta que pariu! Se fosse pra colocar os Nardoni em qualquer um dos instrumentos acima preferia que eles saíssem impune. Tem que ser um animal pra defender uma idéia dessas!

Junior Moraes disse...

que teeenso!

Anônimo disse...

Bem que aquela pirâmide poderia ser usada com pedófilos e estupradores de crianças...