quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Convites para Google Wave começam a ser liberados nesta quarta

      O Google divulgou que vai começar a distribuir, a partir desta quarta-feira (30), mais de 100 mil convites para uma ferramenta chamada Google Wave: a novidade anunciada em maio pretende combinar mensagens instantâneas, e-mail, armazenagem de documentos e recursos de rede social em um pacote integrado. O objetivo, segundo a empresa, é mudar a forma pela qual as pessoas colaboram em projetos ou discutem assuntos específicos.

      Segundo o Google, os convites serão distribuídos para desenvolvedores que já participam de uma prévia iniciada em junho, para os primeiros usuários que se inscreveram para oferecer feedback sobre o produto e também para clientes selecionados do Google Apps.

      “Vamos pedir a essas pessoas para indicarem conhecidos, que também receberam convites: o Google Wave é muito mais útil quando seus amigos, colegas e família também o usam”, escreveu o engenheiro Lars Rasmussen, em um post divulgado nesta terça (29).

      O Wave foi projetado na Austrália por uma pequena equipe, liderada pelos irmãos Lars e Jens Rasmussen. A novidade deve facilitar as conversas de e-mail, oferecendo ferramentas para destacar determinados trechos das conversas. Em mensagens instantâneas, um usuário vai poder ver o que os outros estão escrevendo enquanto digitam — ao menos alterem as configurações de privacidade. Fotos e outros aplicativos on-line, chamados de “widgets”, também poderão ser incorporados ao serviço.

Google-Wave

      O Google Wave também poderia facilmente funcionar com o sistema de publicidade utilizado pelo Gmail, mas durante a apresentação do serviço, em maio, Lars disse que ainda era muito cedo para prever como a empresa poderia lucrar com o serviço.

      O Wave é considerado como uma das mais promissoras inovações do Google, que tenta ampliar sua presença entre os clientes empresariais. Segundo a agência de notícias Reuters, especialistas dizem que o projeto tem potencial de adiantar os planos do Google para fornecer software a empresas, bem como o de dar a ele um papel mais importante no espaço de redes sociais, hoje dominado por companhias como Facebook e Twitter.

Fonte: G1

Nenhum comentário: