terça-feira, 27 de outubro de 2009

Como xingar cultamente

Quer xingar uma pessoa que está te enfezando? Não tem problema, mas faça direito! Veja abaixo como xingar cultamente, sem baixar o padrão intelectual. Uma verdadeira aula de como usar o vernáculo em situações adversas.

Vi no Megacubo.

Cu de bêbado não tem dono – O orifício rugado de um sujeito altamente alcoolizado não possui proprietário.

Pagar o mico – Creditar o primata.

Quebrar a cara – Romper a fisionomia.

Nem a pau – Sequer considerar a utilização de um longo pedaço de madeira.

Nem que a vaca tussa – Sequer considerar a possibilidade da fêmea bovina expirar fortes contrações laríngeo-bucais.

Chutar o balde – Derramar água pelo chão através do tombamento violento e premeditado de seu recipiente.

Filho da puta – Filho de uma inocente mãe que presta serviços sexuais a troco de dinheiro.

Tirar o cavalinho da chuva – Retirar o filhote de eqüino da perturbação pluviométrica.

Esticar as canelas – Alongar as tíbias.

A vaca foi pro brejo – A ruminante bovina deslocou-se para terreno sáfaro e alagadiço.

História pra boi dormir – Colóquio soporífero para gado bovino repousar.

Vai tomar no cu – Sugiro veementemente a Vossa Excelentíssima que procure receber contribuições inusitadas na cavidade retal.

Dar uma de João-sem-braço – Aplicar a contravenção do Sr. João, deficiente físico de um dos membros superiores.

Cair matando – Derrubar com mortais intenções.

Engolir o sapo – Deglutir o batráquio.

Chutar o pau da barraca – Derrubar com a extremidade do membro inferior o suporte central de uma das unidades de acampamento.

Dar um pé-na-bunda de alguém – Impulsionar bruscamente a extremidade do membro inferior contra a região glútea de alguém.

Encher o saco – Dar carga à bolsa escrotal.

Conversa mole pra boi dormir – Prosopopéia flácida para acalentar bovinos.

Nenhum comentário: